Vacina HPV

Papilomavírus Humano (HPV)

O que é o Papilomavírus Humano (HPV)?

O HPV é um vírus comum que afeta tanto homens quanto mulheres. Existem mais de 100 tipos diferentes de HPV. Certos Tipos de HPV causam verrugas comuns nas mãos e nos pés. A maioria dos tipos de HPV não causa nenhum tipo de sintoma e desaparece sem tratamento.

Cerca de 30 tipos de HPV são conhecidos como HPV genitais porque eles afetam a área genital. Alguns tipos provocam mudanças nas células do revestimento do colo do útero. Caso não sejam tratadas, estas células anormais podem se tornar células cancerosas. Outros tipos de HPV podem causar verrugas genitais e mudanças benignas (anormais, mas não cancerosas) no colo do útero. Muitos tipos de HPV provocam resultados anormais no exame de Papanicolaou (Preventivo).

O HPV é um vírus comum?

O HPV é provavelmente mais comum do que você pensa. Em 2001, a Organização mundial de Saúde (OMS) estimou que cerca de 630 milhões de pessoas (9%-13%) estavam infectadas com o HPV.

Quem está suscetível a adquirir o HPV genital? 

Qualquer pessoa que tenha qualquer tipo de atividade sexual envolvendo contato genital está sujeito a adquirir o HPV genital. È possível adquirir o vírus sem a ocorrência de intercurso sexual ( toalhas, roupas íntimas). Como muitas pessoas portadoras do HPV não apresentam nenhum sinal ou sintoma, elas podem transmitir o vírus mesmo sem saber.

O HPV é altamente contagioso; assim, é possível adquiri-lo com uma única exposição. Estima-se que muitas pessoas adquirem o HPV nos primeiros 2-3 anos de vida sexual ativa. Dois terços das pessoas que tiveram contato sexual com um parceiro infectado vão desenvolver uma infecção pelo HPV no período de 3 meses, de acordo com a OMS.

Todas as pessoas que tem o HPV vão desenvolver câncer do colo de útero ou verrugas genitais?

Não. Para a maioria das pessoas que tem o HPV, as defesas do corpo são suficientes para eliminar o vírus. Entretanto, para algumas pessoas, certos tipos de HPV podem desenvolver verrugas genitais ou alterações benignas (anormais, porém não-cancerosas) no colo do útero.

Entretanto, nas mulheres que não conseguem eliminar certos tipos de vírus, mudanças anormais podem ocorrer no revestimento do colo do útero. Estas células anormais, se não forem detectadas ou tratadas, podem levar ao pré-câncer ou ao câncer. Na maioria das vezes, o desenvolvimento do câncer do colo de útero leva vários anos, muito embora, em casos raros, ele possa acontecer em apenas um ano. Esta é a razão pela qual a detecção precoce é tão importante. Fale com seu médico sobre o exame de Papanicolaou, ele pode ajudar a detectar mudanças celulares suspeitas no colo do útero.

Como posso reduzir o risco de adquirir o HPV genital?

Para reduzir o risco de novas infecções genitais pelo HPV, você deve evitar qualquer tipo de atividade sexual que envolva contato genital, sem segurança, ou limitar o número de parceiros sexuais. Os preservativos podem ajudar a reduzir o risco de aquisição de uma infecção pelo HPV. No entanto, como os preservativos não cobrem todas as áreas da região genital, eles não são capazes de prevenir completamente a infecção.

Qual a incidência do vírus na população?

Calcula-se que no Brasil e no mundo cerca de 25% da população, sem nenhuma doença evidente, está infectada pelo HPV. Este número é comprovado para mulheres. Para os homens a estimativa é de que o percentual seja mais elevado, ocorrendo, no entanto, de forma mais assintomática que nas mulheres. Ou seja, os homens parecem ter mais HPV, agindo como transmissores, mas apresentam menos doenças que as mulheres.

Quais as formas de prevenir a transmissão de HPV genital?

Não existe forma de prevenção 100% segura, já que o HPV pode ser transmitido até mesmo por meio de uma toalha ou outro objeto. Calcula-se que o uso da camisinha consiga barrar entre 70% e 80% das transmissões, e sua efetividade não é maior porque o vírus pode estar alojado em outro local, não necessariamente no pênis. A novidade é a chegada, ainda em 2006, da primeira vacina capaz de prevenir a infecção pelos dois tipos mais comuns de HPV, o 6 e o 11, responsáveis por 90% das verrugas, e também dos dois tipos mais perigosos, o16 e o 18, responsáveis por 70% dos casos de câncer de colo do útero.

O que é a VACINA e para que é indicado?

É uma vacina (injeção) que ajuda na proteção contra as seguintes doenças causadas pelos tipos de papilomavírus humanos (HPV) contidos na vacina (6,11,16 e 18):

Câncer do colo do útero (parte inferior do útero ou ventre);
Alterações e lesões pré-cancerosas do colo do útero;
Alterações e lesões pré-cancerosas da vagina;
Alterações e lesões pré-cancerosas da vulva;
Verrugas genitais.

A VACINA ajuda a prevenir essas doenças – mas não trata as mesmas.
Você ou sua filha não adquirirá essas doenças se tomar a  VACINA.

Que outras informações importantes devo obter sobre a VACINA?
A vacinação não substitui os exames de rotina para detecção do câncer do colo do útero. As mulheres que recebem A VACINA devem continuar realizando exames para detecção do câncer do colo do útero.

Como a VACINA é administrada?

A VACINA é administrada em injeção.
Você ou sua filha deve receber 3 doses da vacina. O esquema ideal para a administração das doses da vacina é:

Primeira dose: na data que você ou seu profissional de saúde escolher.
Segunda dose: 2 meses depois da primeira dose.
Terceira dose: 6 meses depois da primeira dose.

Certifique-se de que você ou sua filha tome as 3 doses para que obtenha todos os benefícios Se você ou sua filha deixar de tomar uma das doses no período determinado, seu profissional de saúde decidirá quando essa dose deverá ser administrada.
Atualmente a VACINA está indicada para mulheres entre 8 e 26 anos, mas novos estudos avaliam a possibilidade de incluir mulheres de outras faixas etárias e os homens.
Estudos garantem uma proteção de 100% nos primeiros 5 anos, o tempo total de proteção ainda não está estabelecido.
Procure seu ginecologista para receber os esclarecimentos sobre a VACINA para o HPV.